Otimizar a sua poupança dos 25 aos 40 anos | Optimize

Optimize na imprensa

Otimizar a sua poupança dos 25 aos 40 anos

Nuno Santos, Administrador Executivo da Optimize Investment Partners, respondeu às perguntas do Dinheiro Vivo, o suplemento semanal do Diário de Noticías, sobre o tema: Gerir a sua poupança dos 25 a 40 anos.

Entre os 25 e os 40 anos, o que deve ser tido em conta na criação de poupanças?

Deve-se ter em conta o que se pretende alcançar com a poupança. Quais são os meus objetivos de investimento? Poupar para fazer face a um imprevisto, para trocar de carro, para viajar no futuro, para comprar uma casa, para ter um complemento de reforma que me permita manter o nível de vida ou para deixar uma poupança aos meus herdeiros? Por outro lado, há que ter em consideração os custos mensais existentes e analisar se existe algo que se possa reduzir ou eliminar de forma a conseguir acumular poupança.

Há produtos de poupança que sejam mais adequados a esta fase da vida? Por que motivo?

Há vários produtos de poupança adequados para esta fase da vida. A escolha dos mesmos dependerá dos objetivos de investimento, do horizonte temporal de investimento e do nível de rentabilidade/risco que se pretenda alcançar. Por exemplo, se o objetivo for constituir uma poupança de médio ou longo prazo e com um nível de rentabilidade/risco intermédio, os fundos PPR podem ser uma alternativa interessante uma vez que têm uma fiscalidade mais favorável do que as outras aplicações financeiras. Os rendimentos obtidos num fundo PPR são tributados em apenas 21,5% ao invés dos 28% como na maioria das aplicações financeiras. No caso de o aforrador deter o seu investimento mais de 5 anos a taxa de retenção de IRS baixa para 17,2% e caso mantenha o PPR mais de 8 anos essa taxa reduz-se ainda mais para apenas 8,6%! É importante realçar que para quem está a ponderar subscrever um fundo PPR o mesmo pode ser resgatado em qualquer altura. Esta grande vantagem fiscal e a possibilidade de resgate a qualquer momento penso ser ainda desconhecida para a maioria dos aforradores. Por outro lado, os fundos PPR são investimentos bastantes diversificados com uma componente de obrigações e outra de ações.

Presumindo que as poupanças deverão ser compostas por diferentes tipos de produtos - corrija-me se a minha suposição estiver errada - qual a composição ideal (referindo tipos de produtos) de uma "cesta" de poupanças nesta fase?

Cada aforrador deve ser tratado com um caso particular e, como tal, é muito difícil definir uma carteira de investimento que seja adequada para todos os aforradores nessa faixa etária. No entanto, deve ser aplicada em produtos com risco reduzido ou de rendimento garantido aquela percentagem da poupança que já sabemos vir a necessitar a curto prazo (6 meses) apesar de as atuais taxas de juro não incentivarem este tipo de aplicação. A alternativa poderá ser um fundo de investimento mais vocacionado para o curto prazo ou de menor risco. O restante devemos dividir entre fundos de obrigações e fundos de ações que por definição já são suficientemente diversificados. Por fim, para a percentagem da poupança que pretendemos alocar ao nosso futuro complemento de reforma, os fundos PPR são os produtos mais adequados devido também a vantagem fiscal que referi anteriormente. Apenas como exemplo: 20% em Produtos de rendimento garantido, 30% em fundos de obrigações, 30% em fundo de ações e 20% em fundos PPR.

É uma idade em que a aposta pode ser feita em produtos de maior risco? Se sim, quais?

Na minha opinião sim, sobretudo para aquela componente da poupança que não prevemos necessitar a curto/médio prazo. Se o horizonte de investimento é longo, existe tempo para recuperar de um eventual período negativo no início do investimento. Os fundos de ações ou com maior componente de ações têm um rendimento potencial superior a médio/longo prazo. Os fundos de investimento flexíveis porque se adaptam aos diferentes ciclos de mercado também são uma boa alternativa. Nestes fundos, o nível de ações pode ir de 0% a 100% consoante o ciclo do mercado e a opinião do gestor do fundo.

E, ao nível das maturidades, quais os produtos que devem ser selecionados em detrimento de outros?

Eu não gosto muito de falar em maturidades pois fazem-me lembrar os produtos estruturados que foram uma das causas da crise de 2008, Na Optimize, somos contra a poupança “prisioneira”. Os nossos fundos de investimento não têm comissão de subscrição nem de reembolso, não têm prazo e têm cotação diária, o que significa que os aforradores podem entrar e sair quando quiserem sem custos.

As poupanças devem ser criadas com objetivos definidos? (por exemplo: para os anos da reforma, para o início da vida adulta dos filhos, para um objetivo a médio ou longo prazo - viagem, compra mais onerosa, etc). Se possível, e tendo em conta os exemplos que acabei de dar, que tipo de produto é mais adequado a um determinado objetivo?

Penso que já respondi em parte mas posso acrescentar que a poupança deve ter um objetivo definido e sobretudo um horizonte temporal definido (curto, médio ou longo prazo). Para a reforma os fundos PPR são os mais adequados. Para um objetivo a médio ou longo prazo, uma viagem ou compra mais onerosa devemos privilegiar sobretudo fundos de ações ou fundos flexíveis pois permitem obter rendimentos mais elevados nesse horizonte de investimento.

E, mais importante, que tipo de comportamentos deve ser seguido para que haja capital para investir em poupanças para o futuro?

É muito importante começar a poupar desde cedo e devemos incutir esse espírito e essa disciplina desde logo nas crianças. Já Einstein dizia “Os juros compostos são a 8ª maravilha do mundo. Quem os entende, recebe-os quem não os entende paga-os”. Quanto mais cedo começarmos a poupar e a investir a nossa poupança, menor é o esforço financeiro que temos de fazer para obter o mesmo capital acumulado. Uma das formas de disciplinar a poupança e o investimento é optar por planos de entregas periódicas (mensal, por exemplo). Por outro lado, devemos logo após o recebimento do salário alocar uma percentagem do mesmo a uma forma de poupança.

Links úteis:

Artigo publicado in 
Diário de Notícias
 em 25 de Junho de 2018
×

Bem-vindo

Para entrar no seu Espaço Privado Optimize,
preencha o formulário em baixo

3
DEF
4
GHI
1
0
7
PQRS
6
MNO
2
ABC
8
TUV
5
JKL
9
WXYZ
×

Bem-vindo

Para entrar no seu Espaço Consultor Optimize,
preencha o formulário em baixo

2
ABC
1
7
PQRS
5
JKL
8
TUV
3
DEF
6
MNO
4
GHI
9
WXYZ
0